Vício Frenético, Werner Herzog (Bad Lieutenant: Port of Call New Orleans, 2009)

Cotação: 87%

Tá aí o tipo de experiência descontrolada que consegue fazer o conjunto de cenas ser mais importante do que o contexto central do filme. A piração é tão aguda que deixou a sala de cinema igualmente chapada. Pessoas ao meu lado rindo histericamente e batendo os braços nas cadeiras. Afinal, como não rir daquelas iguanas psicodélicas? Ou então conter uma gargalhada na cena em que Cage pede para atirar no morto de novo, porque sua alma ainda está dançando.

O retrato de Nova Orleans após o furacão Katrina contando do foco de um personagens que faz parte de um sub-universo norte-americano. Quem tratou como uma fita policial, não compreendeu o que o filme tem de mais poderoso: a imagem nítida de um diretor que jamais evita fazer um comentário (sadio ou não) sobre o estado físico e mental de um personagem.