Desconhecido – Jaume Collet-Serra (EUA, 2011) 5.5/10

Há filmes ruins que se justificam pelo simples fato de serem funcionais. Até o minuto 80, quando Desconhecido quer ser apenas um filme de ação, eu estava me divertindo sem qualquer julgamento crítico – e eu podia circular toda a minha crítica na atuação bizonha da January Jones (perderia quase dois parágrafos falando das cenas em que a atriz franze o cenho).

O melhor que posso fazer é reconhecer o seguinte: o diretor Jaume Collet-Serra faz o que pode com um roteiro terrível. A direção é o ponto forte do filme, por pouco não sustenta quase toda a trama. Completamente pontual, Collet leva a narrativa com muita fluência até o momento em que empaca em soluções cretinas, e ai tudo vai por água abaixo.

É o tipo de filme que deixa bem ilustrado como uma fórmula pode funcionar – como eu disse, até certo ponto este era um dos filmes de ação mais deliciosos do ano. Faltou simplicidade e um pouco de maturidade para concluir a idéia central. Ainda assim, é tipo de filme que, mesmo sendo ruim, não me incomoda ou me faz querer ir embora do cinema.