Interlúdio – Alfred Hitchcock (EUA, 1946) 9.0/10

Impressionante como Hitchcock traça o perfil dos personagens através de uma única característica (o herói orgulhoso, a mocinha rebelde, o vilão humano) e aos poucos expande a nossa impressão sobre sua personalidade e sobre sua função na trama. Grant (ainda melhor do que em Intriga Internacional) e Bergman, estão perfeitos construíndo uma atmosfera de suspense e romance atenuado. E no limite entre o filme de espionagem e o romance melodramático, o gordinho constrói um longa sobre a redenção. É por isso que os personagens se transformam e encontram o final certo, tão cruel quanto humano. Um dos melhores dele.